DESTAQUE NO ESPORTE: Policial militar da Paraíba é campeão brasileiro na faixa preta de Jiu-Jitsu no Espírito Santo

A Paraíba no lugar mais alto do pódio e com direito a continência militar. Foi assim que o soldado Rafael Ronkally Guimarães Duarte, do 2º Batalhão de Polícia Militar, ‘escreveu’ seu nome na história do campeonato brasileiro de Jiu-Jitsu Profissional Gi & No Gi, realizado nesse fim de semana, no estado do Espírito Santo. O policial militar e lutador paraibano levou a melhor na faixa preta e venceu em duas categorias: pesado e absoluto.

Na categoria pesado, ele foi campeão após vencer a final contra um competidor de São Paulo, ficando o terceiro lugar para um atleta do Espírito Santo. Já na categoria absoluto, o policial militar paraibano venceu um atleta do Rio de Janeiro na final, com a terceira colocação ficando para um lutador do Paraná. O evento reuniu atletas de todos os estados.

“É um sentimento de honra em poder representar a polícia militar da Paraíba da melhor forma, retribuindo o incentivo e apoio dos meus companheiros com essa conquista, que divido com todos os meus irmãos de farda e amigos. Estou muito feliz em conquistar esse campeonato brasileiro”, destacou o soldado Rafael Ronkally, que chega à Paraíba nesta segunda-feira.

Defendendo a sociedade durante o serviço de policial militar e as cores da Paraíba no esporte, durante a folga, o soldado Rafael Ronkally leva a rotina de trabalho e treinos com muita disciplina, que tem sido o segredo para alcançar as conquistas. No ano passado, ele foi campeão mundial de Jiu-Jitsu na categoria pesado absoluto, ao vencer o Campeonato Mundial de Jiu-Jitsu Profissional Gi & No Gi, no Ceará, e foi campeão Pan-Americano na mesma categoria, no mesmo estado, ao vencer 11 lutas seguidas na competição.

O atleta e policial militar, além de treinar todos os dias de folga, ainda desenvolve um projeto social no bairro das Malvinas, em Campina Grande, cidade onde atua. Lá, jovens e adultos aprendem, através do jiu-jitsu, valores como respeito, honestidade, honra e companheirismo. São mais de 20 pessoas da comunidade que participam, com idades de 15 a 40 anos, treinando pelo menos três vezes por semana.