Patrulhamento em Áreas Indígenas e Unidades Integradas têm novas sedes no litoral norte da Paraíba

Compartilhe

Proteção de povos indígenas, integração e segurança pública. Foram estes os conceitos que marcaram as comemorações do Dia do Índio, na manhã dessa última quinta-feira (19), no litoral norte da Paraíba. Com ação do governo do estado, em parceria com prefeituras municipais, foram inauguradas e reinauguradas duas Unidades Integradas de Polícia, nas cidades de Rio Tinto e Baía da Traição, sediando as Bases para o Patrulhamento em Área Indígena, colaborando com o atendimento em 32 aldeias, além da população local.

Fundado exatamente há seis anos, de forma pioneira, com atendimento e contato direto com aldeias na região do litoral norte, o Patrulhamento em Áreas Indígenas, realizado pela Polícia Militar, será reforçado com a reinauguração da sede da Unidade Integrada de Polícia em Rio Tinto (foto acima), que compõe a Base I do Patrulhamento. A estrutura agrega, em um único local, a PM e a Guarda Civil Municipal, que na ocasião, recebeu novas motocicletas para reforçar as ações.

A ocasião contou com a presença de secretários de estado, representantes das forças de segurança pública, lideranças indígenas e políticas, além da população local. Já na Baía da Traição, Polícia Militar e Policia Civil estarão juntas na nova Unidade Integrada de Polícia, que será a Base II do Patrulhamento Indígena, também montada com apoio da prefeitura local. “O nosso sonho é exatamente este: que a polícia trabalhe integrada. O cidadão quer resultado, e com essa proposta de trabalho que efetuamos aqui, conseguiremos atender melhor a população”, explicou o secretário da Segurança e Defesa Social, Claudio Lima.

Unidade Integrada em Baía da Traição

Para o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Euller Chaves, esse trabalho de integração deve ser celebrado entre instituições e a população indígena e não indígena. “Com ações de integração e proximidade em 32 aldeias, atendendo aproximadamente 25 mil índios, além da população local, a Polícia Militar firma-se ainda mais como instituição que trabalha pela cultura de paz e no respeito aos povos”, declarou. Na ocasião, o coronel Euller foi representado pelo subcomandante geral da PM, coronel Almeida Rosas.

Major Alberto Filho, comandante da 2ª Companhia Independente de Polícia Militar, com Marcos Isaias, uma das lideranças indígenas da aldeia Lagoa do Mato.

O encerramento das comemorações do Dia do Índio aconteceu com a tradicional dança do Toré, realizado na aldeia São Francisco, com representantes indígenas de diversas aldeias. “A atuação da Patrulha Indígena só tem trazido bom êxito para nossa comunidade, com mais segurança e mais ação. Essa parceria entre comunidade indígena, Polícia Militar, Polícia Civil e governo do Estado, tem colaborado para o reconhecimento de nosso povo”, declarou o cacique-geral do Povo Potiguara, Sandro Gomes.

6 anos de criação – O Patrulhamento em Áreas Indígenas foi lançado no mês de abril de 2012, de forma pioneira pela PMPB, onde aldeias indígenas tem contato direto, através de uma linha solidária, com o comando local da PM. Já a primeira Unidade Integrada foi inaugurada em Itapororoca, em dezembro do ano passado, onde atuam juntas PM e GCM da cidade.