Brasões – 5º CIPM

5ª COMPANHIA INDEPENDENTE DE POLÍCIA MILITAR (5ª CIPM)

Autoria do Brasão:

Maj QOC GLAUCO CÉSAR DA SILVA PAIVA

Descrição Heráldica:

Maj QOC GLAUCO CÉSAR DA SILVA PAIVA

Apoio Técnico:

Cb QPC PÉTALA PEREIRA DE SANTOS MEDEIROS

Brasão:

• Escudo peninsular português, chefe com dois campos, em faixa, o superior de goles e o inferior de sable, contendo a inscrição “5a CIPM”, em ouro, cortado, o primeiro de prata, com um par de bucaneiras (garruchas) em aspa, de ouro, cosidas de sable, partido, de prata, com duas achas de armas passadas em aspa, de ouro, cosidas e encabadas de sable, sobrepostas por uma torre ameiada no alto, de ouro, lavrada e aberta do último esmalte, o segundo de ouro cosido de sable, com cinco estrelas de seis raios de goles, postas em sautor.

Simbologia e alusão das peças:

• As bucaneiras (garruchas) representam a Polícia Militar, Instituição da qual fazem parte os integrantes da 5a CIPM;
• As achas de armas e a torre simbolizam a fibra, o espírito de sacrifício e a segurança da Companhia Independente nas suas ações em defesa da sociedade e manutenção da ordem pública; e
• O campo de ouro com as estrelas de goles são a representação do brasão de armas da família Tavares, visto que, em princípios do século XVIII, o Padre Francisco Tavares Arcoverde construiu uma capela, em tomo da qual surgiu um povoado que foi batizado de Bom Conselho, dando origem ao que é hoje a cidade de Princesa Isabel, sede da OPM.