Brasões – 1ª CIPM

1ª COMPANHIA INDEPENDENTE DE POLICIA MILITAR (1ª CIPM)

Autoria do Brasão:

Maj QOC GLAUCO CÉSAR DA SILVA PAIVA

Descrição Heráldica:

Maj QOC GLAUCO CÉSAR DA SILVA PAIVA

Apoio Técnico:

Cb QPC PÉTALA PEREIRA DE SANTOS MEDEIROS

Brasão:

• Escudo peninsular português, chefe com dois campos, em faixa, o superior de goles e o inferior de sable, contendo a inscrição “1ª CIPM”, em ouro, cortado, o primeiro de prata, com um par de bucaneiras (garruchas) em aspa, de ouro, cosidas de sable, partido, de prata, com um braço armado e empunhando uma espada em atitude dar golpe, tudo de sable, o segundo de goles, com uma fonte de prata repuxando água do mesmo metal, acompanhada de doze torres também de prata, postas em orla.

Simbologia e alusão das peças:

• As bucaneiras (garruchas) representam a Polícia Militar, Instituição da qual fazem parte os integrantes da Ia CIPM;
• O braço e a espada simbolizam a força e a coragem da Companhia Independente nas ações em defesa da sociedade e manutenção da ordem pública; e
• O campo de goles, a fonte e as torres são a representação do brasão de armas da Vila de Alhandra, em Portugal, que teve seu nome copiado pelo município paraibano, por conta de uma expedição portuguesa que, nos idos de 1700, por ali passou e achou a topografia muito semelhante à Vila portuguesa, batizando-a com o nome que permanece até os dias atuais.