Sistema de Educação da Polícia Militar é aprovado na Assembleia Legislativa

O Sistema de Educação da Polícia Militar da Paraíba foi aprovado por unanimidade, na manhã desta quinta-feira (27), na Assembleia Legislativa. O projeto, encaminhado para apreciação dos parlamentares pelo governador Ricardo Coutinho, traz novidades na capacitação profissional e oferece mais oportunidades à tropa.

Com a aprovação, pelo menos 30% das vagas do Curso de Formação de Oficiais (CFO), que passa a ser chamado de curso de bacharelado em Segurança Pública, serão destinadas aos policiais militares de carreira. O curso de Tecnólogo em Segurança Pública(CTESP), que é para candidatos aprovados no concurso de soldado, permite que o policial entre com nível médio para esta graduação e saia do curso com nível superior.

O Curso de Formação de Sargentos (CFS) agora será Curso de Polícia Preventiva, passando a exigir nível superior e mais de dois anos de efetivo serviço para o ingresso. Já o acesso ao Quadro de Habilitação de Oficiais (QOA), deixa de exigir limite de idade e passa a ser oferecido para policiais com nível superior na área de gestão.

O comandante-geral da Polícia Militar, coronel Euller Chaves, destacou que o Sistema de Educação foi construído com base nos anseios dos profissionais e nas exigências sociais deter um policial cada vez mais qualificado. “Estamos modernizando o nosso sistema de ensino, com educação profissional inclusiva, ascensão por méritos e compartilhamento de conhecimentos científicos e tecnológicos. Em nossa caminhada, ouvimos os anseios dos profissionais que fazem parte da Polícia Militar da Paraíba, levamos a proposta ao governador Ricardo Coutinho, que enviou à Assembleia Legislativa, alcançando a aprovação por unanimidade. Agora é trabalhar para a efetivação e garantir mais melhorias para o crescimento da nossa instituição, o que reflete diretamente na melhoria dos nossos serviços para a população”, disse.

O desenvolvimento científico na área de segurança pública, com o programa de pós-graduação proposto pelo Sistem, traz o mestrado profissional para habilitar capitães ao posto de major e doutorado profissional para habilitar oficiais superiores às promoções de último posto.  A Especialização em Segurança Pública (CESP) será destinada aos 1º tenentes, habilitando-os às promoções ao posto de capitão, dentro do programa de pós-graduação lato sensu.