Polícias deflagram segunda fase da Operação Anfíbios em Santa Rita

Em uma operação integrada, policiais civis e militares deflagraram na madrugada desta quarta-feira (12) a segunda fase da Operação Anfíbios, na cidade de Santa Rita, região da Grande João Pessoa. Desde as primeiras horas da manhã, as equipes estavam nas ruas para cumprir mandados de busca e apreensão e ordens de prisão preventiva. Os alvos foram pessoas suspeitas de prática de homicídios e tráfico de drogas na região.  Os detalhes da operação foram repassados durante uma entrevista coletiva, realizada na Central de Polícia, no bairro do Geisel, em João Pessoa, que teve a presença de autoridades das duas corporações.

Entre os presos, que não tiveram os nomes revelados, há pessoas que já se encontram recolhidas no Presídio Romeu Abrantes (PB1), em João Pessoa, por prática de outros delitos. Durante a manhã, esses detentos foram levados para a Delegacia de Santa Rita, onde foram informados sobre o novo mandado de prisão preventiva  expedido.

De acordo com o delegado Reynaldo Nóbrega, titular da 5ª Delegacia Seccional de Santa Rita, houve cumprimento de oito prisões. Com isso, subiu para 22 o total de presos da Operação Anfíbios, já que na primeira fase foram cumpridos 14 mandados de prisão. “Essa investigação vem sendo feita desde julho deste ano. Contamos com o apoio incondicional do 7º Batalhão da Polícia Militar, sediado em Santa Rita, que nos prestou apoio operacional”, afirmou Nóbrega.

O secretário de Estado da Segurança Pública e Defesa Social, Cláudio Lima, destacou que a atuação da polícia reforça o combate às facções na cidade de Santa Rita.  Ele ressaltou que a operação Anfibios está reduzindo os índices de criminalidade e retirando de circulação pessoas consideradas perigosas para a população da cidade.

“Santa Rita sempre foi  uma região que nos preocupou no inicio da gestão. Por ser uma área muito extensa e com presença de facções. Mas estamos conseguindo reduzir os registros de violência graças ao trabalho integrado das Polícias Civil e Militar, que vêm unindo esforços e devolvendo a tranquilidade à populaçao da cidade. Já foram 22 prisões realizadas, ao todo, durante a operação e outras ainda irão ocorrer”, declarou.

Para o subcomandante do 7º Batalhão, major Josinaldo Lima, a integração entre as duas equipes é  responsável pela queda nos índices de criminalidade em Santa Rita. “Já trabalhei em Santa Rita em anos anteriores e sempre nos deparamos com esse problema da violência na cidade, por ser uma área muita extensa. Mas agora estamos atuando de forma integrada com a Polícia Civil e apresentando bons resultados”, observou.