Oficial da PM é homenageado com a maior honraria do TCE-PB

Compartilhe

O oficial homenageado foi o responsável por todo processo que resultou no registro imobiliário da sede do TCE-PB, no bairro de Jaguaribe, em João Pessoa.
O Tribunal de Contas do Estado da Paraíba entregou, nesta segunda-feira (02), a mais alta honraria da casa ao tenente da Polícia Militar Luciano Adonias Barbosa, como forma de homenageá-lo pelo processo de regularização e escrituração da sede da corte de contas do Estado. A comenda foi entregue como parte das comemorações do 44º aniversário de instalação do Tribunal de Contas da Paraíba.

O oficial homenageado foi o responsável por todo processo que resultou no registro imobiliário da sede do TCE-PB, no bairro de Jaguaribe, em João Pessoa. Ele recebeu a medalha durante sessão extraordinária, realizada no Auditório Celso Furtado.

História do TCE– Em 1967, a Paraíba compunha com Pernambuco e Sergipe a lista das três únicas Unidades da Federação desprovidas de suas Cortes de Contas. Em dezembro desse mesmo ano, o pernambucano Nilo Coelho supriria, em seu governo e sua terra, essa necessidade. Em Sergipe, isso ocorreria, dois anos depois. Ou seja, sequencialmente, as populações desses três Estados passavam, em tempo relativamente curto, a dispor dos meios e instrumentos necessários ao controle dos gastos públicos estaduais e municipais.

O Tribunal de Contas da Paraíba foi criado em 17 de agosto de 1970 pelo Decreto 3.621 do então governador João Agripino ocorrendo sua instalação em 1º de março do ano seguinte. Desde então, funciona no bairro de Jaguaribe, em João Pessoa, em prédio originalmente destinado ao Instituto de Polícia Técnica Estadual posteriormente acrescido, em fases distintas, de novos e modernos anexos, o último deles, o Centro Cultural Ariano Suassuna, inaugurado em dezembro passado.

Nos idos de 1970, abordado à saída da Missa a que assistia com a família por alguns dos que viriam a formar o primeiro corpo de conselheiros, Agripino despachava a ordem de ocupação do imóvel da Rua Geraldo Von Sohsten, ali mesmo, diante da Igreja.

A primeira composição do TCE foi feita com os nomes de Otacílio Silva da Silveira (presidente), Antônio Carlos Escorel de Almeida, Aécio Vilar de Aquino, Luiz Nunes Alves, José Braz do Rego, Carmelo Santos Coelho e Damásio Barbosa da Franca. A mais recente dá-se com os conselheiros Fábio Túlio Nogueira da Silveira (presidente), Umberto Silveira Porto, Arnóbio Alves Viana, Antonio Nominando Diniz Filho, Arthur Cunha Lima, Fernando Rodrigues Catão e André Carlo Torres Pontes.

Ao longo de seus 44 anos de funcionamento, agora completados, a Corte de Contas dos paraibanos inscreveu-se, reconhecidamente, entre as mais ágeis e modernas do País. Contribuíram, para isso, investimentos sucessivos na ampliação de espaços físicos e equipamentos, na formação de quadros técnicos e no desenvolvimento de programas, projetos e sistemas somente possíveis com o bom aproveitamento dos recursos da informática.